Agenda do governador Geraldo Alckmin 21/09 - São Paulo/SP


AGENDA DO GOVERNADOR


O governador Geraldo Alckmin autoriza, nesta quinta-feira, 21, uma série de obras que vão ampliar o tratamento de esgoto na capital e na Grande São Paulo, durante vistoria às obras de construção de um interceptor de esgotos embaixo da marginal Tietê, na altura da ponte da Casa Verde. O anúncio acontece em comemoração ao Dia do Tietê, celebrado em 22 de setembro.

Os investimentos da Sabesp fazem parte do Projeto Tietê e vão gerar 2.580 empregos diretos e indiretos. O pacote inclui a instalação de tubulações e estações de bombeamento no centro e nas zonas leste, norte e oeste da capital e nas cidades de Barueri, Cotia, Itaquaquecetuba e Suzano. Essas novas obras terão capacidade para tratar o esgoto produzido por 2,2 milhões de pessoas.


Evento: Lançamento de obras do Projeto Tietê e vistoria às obras do túnel no interceptor Tietê 7
Data: Quinta-feira, 21 de setembro de 2017
Horário: 10h
Local: Ponte da Casa Verde, alça de acesso à pista, sentido rodovia Ayrton Senna - São Paulo/SP

- Coordenadas para GPS: -23.517888, -46.655657

São Paulo é o Estado mais competitivo do Brasil pelo segundo ano consecutivo


Levantamento feito pelo Centro de Liderança Pública foi divulgado em cerimônia nesta quarta-feira, 20, com a presença dos governadores Geraldo Alckmin (SP), Confúcio Moura (RO), Paulo Câmara (PE) e Raimundo Colombo (SC)


“A questão fiscal não é economicista, ela é social. Sem resolvê-la, o país não cresce, não gera emprego, não investe em educação”, disse o governador Geraldo Alckmin nesta quarta-feira, 20, na cerimônia do Prêmio Excelência em Competitividade, promovido pelo Centro de Liderança Pública (CLP). “Se não vamos aumentar a carga tributária – e não vamos, não devemos – precisa ter mais eficiência no gasto público e na avaliação permanente das ações do Estado”.

Pelo segundo ano seguido, São Paulo ficou no topo do ranking dos Estados, com nota 87,8. Nas áreas de infraestrutura, educação, inovação e potencial de mercado, o Estado cravou nota máxima – 100,00. O levantamento leva em consideração os dados de 66 indicadores, distribuídos em 10 pilares temáticos: além dos quatro já citados, também são temas as áreas de sustentabilidade social, segurança pública, solidez fiscal, eficiência da máquina pública, capital humano e sustentabilidade ambiental. 

Também participaram da cerimônia os governadores Confúcio Moura (RO), Paulo Câmara (PE) e Raimundo Colombo (SC). “Mais do que o ranking, o importante é o conceito de avaliação permanente do poder público. Queremos que todos os Estados tenham um grande empate em primeiro lugar”, ressaltou Alckmin.

Confira o levantamento completo emhttp://www.rankingdecompetitividade.org.br.

Doria anuncia parceria com aplicativo de trânsito para monitorar semáforos


Folha.com
 
O prefeito de SP João Doria (PSDB) anuncia a parceria com o aplicativo Waze nesta quarta (20)
Foto: Nelson Antoine/Folhapress


O prefeito João Doria (PSDB) anunciou na manhã desta quarta-feira (20) uma parceria entre a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e o aplicativo de trânsito Waze.

Com o acordo, o aplicativo vai repassar automaticamente à CET as informações sobre semáforos quebrados que estiverem disponíveis em sua plataforma –nela, os usuários reportam obstáculos em tempo real, que permitem ao Waze montar a melhor rota para o motorista chegar ao seu destino.

Segundo o presidente do órgão, João Octaviano Machado Neto, a parceria amplia o "poder de monitoramento na cidade" e permite à companhia "iniciar um planejamento para reduzir o tempo de resposta para as falhas detectadas na capital."

A prefeitura afirma que as ações voltadas aos semáforos são a etapa inicial da parceria que, posteriormente, poderá ser ampliada. No entanto, não foram dados maiores detalhes sobre os próximos passos do acordo.

Para Geraldo Alckmin, PSDB não pode escolher candidato à presidência na última hora


THAIS BILENKY - FOLHA.COM


O governador paulista, Geraldo Alckmin, criticou nesta quarta-feira (20) a articulação feita pelo prefeito de São Paulo, João Doria, para adiar a escolha do candidato do PSDB a presidente.

"Se deixar lá para o meio do ano, quem for candidato, independente de quem seja, acaba saindo de forma improvisada", disse Alckmin.

O governador foi homenageado em evento do Centro de Liderança Pública, fundado por Luiz Felipe d'Avila, pré-candidato do PSDB a suceder Alckmin.

"Não precisa nada ser definido agora, mas não defendo decisões de última hora, deixar isso para março, abril", afirmou o governador.

"Tudo que é improvisado é malfeito. Aliás, no Brasil, precisamos parar com improvisação, inclusive na política."


VIAGEM

Alckmin relativizou o resultado de pesquisa que o colocou com intenção de voto inferior à de Doria.

"Achei ótima porque está praticamente empatado. Eu não disputo eleição já há vários anos, não disputei a eleição do ano passado e a eleição de governador fica embaixo da de presidente. Então, não chama atenção", justificou.

"Também não tenho viajado tanto, então achei ótimo. Em alguns cenários até estou na frente. Mas esse não deve ser o parâmetro. Se fosse escolher candidato por pesquisa, aqui na capital no segundo turno [da eleição de 2016] seria o Russomanno e a Marta Suplicy."

Alckmin é favorável à realização de prévias para a escolha do candidato tucano. Doria defende que o partido leve em consideração pesquisas de intenção de voto.

Em seu discurso no evento, que anunciou resultados do ranking de competitividade dos Estados, o governador de SP, primeiro colocado, adotou tom de estadista.

"Isso aqui é Coutinho e Pelé", afirmou ao lado do governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), terceiro colocado. "Queremos que todos os Estados tenham um grande empate em primeiro lugar."

Colombo declarou apoio à candidatura presidencial de Alckmin. "Torço muito para ver o Geraldo numa nova missão, ele está preparado", declarou Colombo.

A jornalistas, ele disse que "prefere Geraldo Alckmin" a Doria. "Não tenho nada contra ele [o prefeito], mas o perfil do Geraldo, a experiência, o histórico é o que eu entendo ser o mais ajustado para os desafios."

Também presente, o governador Confúcio Moura (PMDB), de Rondônia, elogiou "as boas práticas" de Alckmin. Nos bastidores, segundo interlocutores, Moura prefere o governador paulista a Doria na candidatura nacional do PSDB.

Agenda do governador Geraldo Alckmin 20/09 - São Paulo/SP

AGENDA DO GOVERNADOR


O governador Geraldo Alckmin participa nesta quarta-feira, 20, do Prêmio Excelência em Competitividade, realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP). O evento também apresentará o ranking de competitividade dos Estados 2017, premiando os destaques do ano. 


Evento: Participação no Prêmio Excelência em Competitividade
Data: Quarta-feira, 20 de setembro de 2017
Horário: 10h45
Local: Rua XV de novembro, nº 275 - 1º andar - Centro - São Paulo/SP

Lula vira réu pela sétima vez


CAMILA MATTOSO, LETÍCIA CASADO E BELA MEGALE - FOLHA.COM

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que virou réu pela sétima vez

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva virou mais uma vez réu na Operação Zelotes nesta terça-feira (19).

Ele é acusado pelo crime de corrupção passiva por supostamente aceitar promessa para receber recursos ilegais em 2009, quando ainda ocupava a Presidência.

O juiz Vallisney Oliveira, do Distrito Federal, recebeu na íntegra a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal no Distrito Federal.

Além de Lula, outras seis pessoas também viraram réus: o advogado Mauro Marcondes, o lobista Alexandre Paes dos Santos e seu sócio na consultoria SGR José Ricardo da Silva, os executivos de montadoras Carlos Alberto de Oliveira Andrade (Caoa) e Paulo Arantes Ferraz (MMC, atual HPE) e Gilberto Carvalho, ex-chefe de gabinete do ex-presidente.

Assim como Lula, Carvalho vai responder pelo crime de corrupção passiva, enquanto os outros foram acusados de corrupção ativa.

O grupo foi denunciado na semana passada.

De acordo com a Procuradoria, Lula e Carvalho aceitaram promessa de vantagem indevida de R$ 6 milhões para favorecer as montadoras MMC (atual HPE) e Caoa na edição da medida provisória 471, de novembro de 2009.

Em troca, o dinheiro serviria para arrecadação ilegal da campanha eleitoral do PT. O esquema era intermediado, segundo o Ministério Público, por Marcondes e Paes dos Santos.

Silva, Paes dos Santos e Marcondes, segundo os procuradores, formaram com outras pessoas uma associação criminosa para corromper agentes públicos e beneficiar as duas montadoras de veículos.

Eles têm negado as acusações.

O ex-presidente é réu em outras seis ações penais, sendo três no Distrito Federal.

No Distrito Federal, responde por obstrução de justiça ao tentar impedir a delação do ex-diretor de Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró; por tráfico de influência no BNDES a fim de beneficiar a empreiteira Odebrecht; e por tráfico de influência na compra de caças suecos junto com o filho Luís Cláudio, também na Zelotes.

Já no Paraná, ele responde ao juiz Sergio Moro por suspeita de receber propina da Odebrecht na compra de um terreno para o Instituto Lula; por corrupção passiva e lavagem de dinheiro envolvendo um sítio em Atibaia (SP); e já foi condenado, mas recorre em liberdade, por recebimento de vantagem indevida da OAS envolvendo um apartamento triplex no Guarujá (SP).

De acordo com os procuradores, diante da promessa de vender a MP 471/09 em troca de pagamentos no valor de R$ 6 milhões ao PT, Lula e Carvalho "infringindo dever funcional, favoreceram às montadoras de veículo MMC e CAOA ao editarem, em celeridade e procedimento atípicos, a Medida Provisória nº 471, em 23.11.2009", escreveu o juiz na decisão.

Eles, inclusive, teriam permitido aos empresários terem acesso ao texto da norma antes de ser publicada e numerada, depois de realizados os ajustes encomendados.

Para o juiz Vallisney, "está demonstrada até agora a plausibilidade das alegações contidas na denúncia em face da circunstanciada exposição dos fatos tidos por criminosos e as descrições das condutas em correspondência aos documentos constantes do inquérito".

"Assim, nesse juízo preliminar, não vislumbro qualquer elemento probatório cabal capaz de infirmar a acusação, sem prejuízo da análise particularizada com a eventual contraprova", escreveu Vallisney na decisão.

Agora, as defesas terão dez dias para se manifestar sobre as acusações. Depois, começa a etapa de ouvir testemunhas e apresentar provas e contraprovas.

Para o governador Geraldo Alckmin, idade não representa o novo na política


Em evento em Belo Horizonte, governador defendeu ainda que campanhas sejam feitas com 'microfone e mesa'

Pedro Venceslau - O Estado de S.Paulo

A imagem pode conter: 7 pessoas

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin disse, na noite desta segunda-feira, 18, que não é a idade que representa o novo na política. Ele foi questionado sobre o tema em uma palestra a empresários mineiros, em Belo Horizonte.

“Novo é a idade? 30, 50, 70 anos? Pode ter pessoas jovens, com ideias velhas. O piloto antes de pegar o Boeing, pilota um monomotor, depois um jatinho, vira copiloto e depois pega o manche", afirmou Alckmin, questionado sobre o que representa o novo na política.

Geraldo defendeu ainda que as campanhas políticas sejam feitas apenas com "microfone e mesa". "Tira a marquetagem. A campanha fica mais barata e verdadeira." 

Sobre corte de gastos, ele ainda disse que fez ajuste no governo. "Nem carro mais. Agora aluga Uber. Vendi helicóptero, tudo." 

Alckmin embarcou em voo de carreira às 16 horas de hoje e veio acompanhado apenas de um ajudante de ordens. Ele não foi recebido com claque no aeroporto, mas por assessores enviados pelo partido. Ao chegar ao local da palestra, Alckmin foi recebido pelo senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) e pelos deputados Marcus Pestana (PSDB-MG) e Domingos Sávio, todos aliados do senador Aécio Neves.

"PPP da habitação acelera obras", artigo de Rodrigo Garcia


Folha de S.Paulo

Imagem relacionada
Governador Geraldo Alckmin e Rodrigo Garcia no lançamento das obras da PPP Complexo Júlio Prestes

Em janeiro passado, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), autorizou o início das obras da Parceria Público Privada (PPP) da Habitação no terreno da antiga rodoviária, no centro da capital.

Passados poucos meses, a cena impressiona a quem andar pela região. Já são 11 pavimentos erguidos e obras avançadas em todo o terreno de 18 mil m². O canteiro de obras conta com 800 operários e, em dezembro, estarão em pé quatro torres com 17 andares. A entrega dos primeiros apartamentos vai acontecer no começo de 2018.

Já no início do ano que vem será entregue a nova praça Júlio Prestes, que vai ligar a Sala São Paulo à Escola de Música Tom Jobim, também construída no âmbito do contrato da PPP.

O projeto prevê área ao ar livre para apresentações artísticas com capacidade para 5.000 espectadores e espaços de uso infantil e recreativo. Além dos 1.202 apartamentos e da Escola de Música, as obras contemplam bulevares com 5.000 m² reservados a lojas e uma creche para 200 crianças.

As obras das oito torres de apartamentos da PPP na rua São Caetano, no centro, foram concluídas em apenas 11 meses. E, na alameda Glete, as 91 unidades foram construídas em dez meses.

Além da velocidade das obras, chama a atenção a qualidade da construção, cujo acabamento é de padrão muito superior ao que se verifica em obras de habitação social: metais, revestimentos e louças de primeira qualidade, áreas comuns cobertas e outros caprichos.

E qual a razão para isso? É a lógica da PPP, que alinha o interesse público com a força da empresa concessionária privada.

Quanto antes o concessionário termina a obra, mais rapidamente começa a receber o subsídio contratual do governo. Em relação à qualidade, o fato de o concessionário ser responsável pela manutenção dos espaços pelo prazo de 20 anos faz com que a construção seja feita para durar o máximo possível.

As PPPs permitem antecipar investimentos de interesse público que, se dependessem apenas dos recursos orçamentários, seriam adiados. Isso é especialmente importante no momento de crise econômica e queda na arrecadação de impostos.

As PPPs do governo de São Paulo são um alento para a economia, com a oferta de oportunidades de negócios, emprego e renda.

Quem se beneficia com a primeira PPP de habitação do Brasil são as 3.683 famílias que estão ganhando moradia de qualidade no centro. Dessas, 2.260 têm renda até R$ 4.344 e vão receber subsídio do governo do Estado.

O primeiro sorteio para as famílias que receberão 601 unidades já foi realizado, e outros sorteios definirão os demais contemplados em um universo de 189,4 mil pessoas inscritas.

A experiência internacional mostra que a recuperação de áreas urbanas degradadas passa por um conjunto de intervenções que contemplam, necessariamente, a oferta de moradias. É a população fixa que dá estabilidade aos bairros.

É exatamente o que a PPP traz para a região onde existia, até pouco tempo atrás, a cracolândia. A PPP é fundamental nos esforços do governo e da Prefeitura de São Paulo para acabar com o consumo de drogas em larga escala na região.

O rico aprendizado dessa operação está sendo aplicado na PPP Nova Cidade Albor, que vai construir 13,1 mil moradias na Grande São Paulo.

Por estar próxima ao aeroporto de Guarulhos e também às margens do Rodoanel, a PPP contará com áreas de comércio, logística, indústrias e equipamentos públicos. Será uma nova cidade com 40 mil habitantes.

O investimento da iniciativa privada será da ordem de R$ 2,1 bilhões, com contrapartida de R$ 884,8 milhões do governo do Estado.

O resultado da concorrência internacional sairá em outubro. O próximo passo será a PPP dos Trilhos, que vai construir 2.500 moradias sobre a estação Belém do Metrô.


*RODRIGO GARCIA, 43, é secretário estadual de Habitação

Em Belo Horizonte, Geraldo Alckmin diz que vai a eventos não oficiais fora do expediente


Resultado de imagem para geraldo alckmin welbi

Em Belo Horizonte para participar de uma palestra para empresários, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que tem procurado deixar compromissos não oficiais para depois do expediente ou para os fins de semana.

"Estou procurando fazer agendas que não são estritamente oficiais à noite ou nos fins de semana. Estou vindo com passagem paga do meu bolso, hotel do meu bolso", disse.

Alckmin chegou a Minas às 17h30 e cancelou os compromissos que teria durante a tarde, incluindo encontros com políticos tucanos e com o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), além de entrevistas a veículos locais.

O governador afirmou ainda que defende a realização de prévias pelo PSDB para a escolha do candidato tucano à Presidência.

Alckmin estava acompanhado pelo senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Fonte: Folha.com

Agenda do governador Geraldo Alckmin 19/09 - São Paulo/SP

AGENDA DO GOVERNADOR


O governador Geraldo Alckmin anuncia nesta terça-feira, 19, os dados mensais, referentes ao mês de agosto, do INFOSIGA - Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito no Estado de São Paulo. O relatório, apresentado no dia 19 de cada mês, traz informações de óbitos e acidentes com vítimas ocorridos em todo o território paulista.

Na cerimônia, o governador assina convênios do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito com os municípios de Americana, Assis, Bragança Paulista, Guarujá, Itu, Piracicaba e Santos. Com esta parceria, o Estado presta consultoria técnica e transfere recursos aos municípios. Todo o apoio financeiro é proveniente de multas aplicadas pelo Detran.SP, que é revertido para a realização de obras e ações para salvar vidas. 


Evento: Divulgação do INFOSIGA do mês de agosto + Assinatura de convênios do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito / Detran.SP - Americana, Assis, Bragança Paulista, Guarujá, Itu, Piracicaba e Santos
Data: Terça-feira, 19 de setembro de 2017
Horário: 15h
Local: Palácio dos Bandeirantes - Av. Morumbi, nº 4.500 - São Paulo/SP